domingo, 21 de março de 2010

Minha História Resumida em algumas palavras!



Estou em meu vigésimo sexto ano de vida. Dependendo de como as contas são feitas, isso me torna um pouco mais nova no presente momento. Permita-me apresentar, me chamo Fernanda, nasci da minha mãe é claro, e aos 06 anos ganhei uma medalha (uau!,) na escola como a melhor leitora, ou seja, lia corretamente as palavras pausadamente, entre os pontos e vírgulas, e terminei a escola as 16, nessa época ainda brincava de Barbie com minhas colegas e irmãs, e era todo tipo de brincadeira, tinha cabaninha e tudo. Em certos dois anos mais tarde, veio o primeiro namorado, na porta, pais a vigia e tudo mais, e anos passando namorado novo aos 19, que no final resultou de uma perda muito grande e que para sempre o tirou dos meus caminhos (a morte), no meio do caminho conheci um rapaz encantador, e namoramos, mas parecia que tudo foi encantamento, novamente a varinha o levou, só restaram os brilhos... Alguns meses após, veio um moço do interior de São Paulo (atual maridooo), imprevisivelmente ficou, e gerou em, mim uma gravidez, que no 6º mês (gestação) encarei sozinha, eu e minha irmã (do meio) construímos parte dos quartos, comprei um enxoval, com dim. das férias e continuei a trabalhar até o finalzinho da gravidez, muitas coisas aconteceram diante de todo esse trajeto, das quais não me arrependo, mas a imaturidade da época não me fez refletir, e entre os fatos e concepções,numa quarta-feira de cinzas na cidade de Salvador, Luiz Fernando nasceu, onde minha mãe, Deus e os médicos estavam presentes, apesar de tudo foi um momento de felicidade, afinal primeira vez, tudo lindo, tudo novo, nossaaaa e tudo tão diferente....Passados alguns meses viajei a SP, morei 2 anos por lá, com minha sogra, onde meu filho no passar desse tempo ficou internado com uma crise de Bronquite, que adquiriu lá, efeito de mudança de clima ou coisa parecida, permaneci nesse hospital nomeado de UNAERP, onde ele teve um ótimo tratamento, rígido, que me fez ficar acordada durante oito dias consecutivos, e sozinha (marido iria visitá-lo, mas não é a mesma coisa) e após alguns meses retornei a Salvador, onde estou a 4 anos, rs, de volta para minha terra, no começo dessa volta, reencontrei amigos, colegas, conhecidos, vizinhos, e saudades matadas e aproximadas, meses chegando a passar, com a ajuda da minha mãe, mulher e amiga decidir prestar vestibular para Fisioterapia numa Universidade, uau essa que fica há duas horas da minha residência, da qual aprendi a amar, não pelo status, mas pelos mestres que possuem. Nas lutas e conquistas, passei o 1º semestre achando tudo lindo, como no começo tudo é flores e depois vêm os espinhos, engraçados que eu não conseguia enxergá-los (os espinhos), então mesmo com a falta de assistência ( refeições, transporte, em geral) ainda conseguia ficar das oito da manha as cinco da tarde, e muitas vezes juntava a noite, estudando, pois em casa impossível, filhos, e afazeres. E foi passando, passando, caminhando, e no findar, veio o segundo semestre. Um pouco mais light, com ajuda de alguns amigos, alguns deles que me trouxeram grandes decepções, mas que serviram de aprendizado, e deixaram marcas, que acredito nenhuma cicatriz do tempo há de apagar, cicatrizes positivas, cicatrizes de crescimento, de valores que ainda nem achava que poderia encontrar, é fogo que arde sem se ver, rsrs. E na luta para permanecer frente a mensalidades tão altas, sem papy, sem apoio, mesmo que moral, de quase ninguém, e de alguns alguéns e amigos parceiros, que conseguir respirar mais uma luta. Veio o terceiro semestre, que fiz um pequeno ajuste no curso, transferindo-o para a área de interesse que é a ENFERMAGEM, a busca do amor ao CUIDAR, a arte da dedicação, expressada no toque, no olhar, na atenção, nos gestos... São inúmeros adjetivos, que só as mãos dizem o que o coração esta sobrecarregado em fazer, nesse terceiro semestre, foi de específica a quase prática na enfermagem frente aos procedimentos, e finalizando o terceiro, passando ao quarto semestre da minha vida em faculdade foi interrompida, mas não desistida, por motivos que me deixaram triste por semanas, entregue ás lágrimas, ao desânimo, ao saber da arte de um estudante de enfermagem ingressando, na arte de cuidar, Cuidar do estudo, do desempenho nas provas, do aprender a amar, do regozijar de cada vitória, foi desmembrado em lembranças boas, de preferência, mas que ainda ira ser cultivada e regada a cada dia, para que seu florescimento gere a flor da volta e o esperar da confiança de que tudo no momento em que vivemos valeu a pena.




2 comentários:

Denis Ferreira disse...

Olha só eu falarei até onde sei, e do quê já sei é muito pra mim, Fernanda há Fêfeu, Fê ou Piscuila como queira chamar esta garota tem uma linda História de batalha e dedicação. Uma garota simples e amigável que mim fez mudar muito, com suas belas palavras e sinceridade entreguei de inteira confiança a minha vida em história, ela mim ouviu e mim ajudou muito nos problemas. Admiro muito vc Fernanda e te acho uma mulher e tanto sua lealdade e fidelidade com os amigos é de surpreender qualquer um só quem não te conhece para julgar contrariamente, olha saiba que estarei sempre a sua disposição, se precisar e só chamar...
Peço que tem um ideal de vida e se esforça tem que ter méritos e vc com sua história de luta para se formar no curso superior de Enfermagem mim comoveu e o que for de meu alcance farei....Amo ter sua amizade viuuuu... Xeiro e fica com Deus...

Simplesmente Piscuila disse...

Denis...Nossa muito obrigado pelas lindas palavras, das considerações, e por todo apoio, viu, de coração.!Xêro Pitanga.